"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

segunda-feira, julho 12

Sonhos estranhos

Hoje não foi uma segunda-feira das melhores (nunca é, já que essa afirmativa leva em consideração que odeio segundas-feiras)…
Se partirmos do princípio, diria que foi resultado de um fim de semana horroroso. Meu namorado foi viajar, choveu, meus amigos não me ligaram para nenhuma pirataria e, principalmente, fiquei sem internet. Sabe o que isso significa para uma pessoa que já atingiu o estágio de verificar se havia carga na caneta, com o cursor? Tem noção do que isso quer dizer?
Abstinência total, isso quer dizer que uma cyber viciada como eu, não pode em hipótese alguma ficar sem internet. Aff!

Bom, mas o lance que mais mexeu comigo, foi a pilha de pesadelos que tive. No sábado então, liguei umas sete da manhã para ter notícias do meu irmão. Sonhei que ele havia saído de moto, sofrido um acidente que lhe havia esmagado a mão e o pé. Tenho essas coisas às vezes, acho terrível.
Liguei para ele, que me tranquilizou. Quando foi hoje, depois que ele foi para o trabalho, minha mãe contou, que na sexta-feira à noite, depois que ele nos deixou em casa, à caminho de uma festa, ele parou o carro para socorrer um homem que havia sido atropelado e perdeu a mão.
Meu irmão é zeloso do jeito dele, ficou impressionado que na hora em que ele foi socorrer o cara já não havia nada a fazer. A pupila já estava dilatada e sem pulso… (Meu irmão já salvou caras de hipotermia, ataque cardíaco e sei lá mais o quê, quando estava no quartel, leia-se, Exército Brasileiro. Mas, nunca tinha visto um cadáver), ficou muito impressionado.
Tenho esse lance de acreditar em muitas coisas, outras vezes não creio em nenhuma delas para me proteger do excesso de fé.

Decepções também matam, porque criamos expectativas demais sobre as pessoas, que não têm obrigação nenhuma de nos corresponder. Tenho esse como sexto sentido que falo para quem amo, não duvidar.
Já tive sonhos tão cheio de detalhes pertencentes somente a quem vivenciou algum lance, que acharam melhor acreditar em mim, quando digo que é melhor não ir por aquela rua hoje à noite.
Não curto muito essas “paradas”, me incomoda horrores, mas também sou esquisitinha assim. Hoje a segunda foi pesada!