"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

quinta-feira, fevereiro 7

Fase embrionária

A submersão atual são projetos cinematográficos, curtas, documentários e webséries. Esse contexto às vezes se confunde com ansiedade dos textos escritos, me refiro ao contexto jornalístico. 

Não acredito que irei distinguir as duas linguagens, porque quando me tornar cineasta, ainda serei uma jornalista. Então será uma convergência inevitável, baseada nas experiências que trago comigo.

Porém, minha conduta junto aos meus novos colegas tem sido abreviada. Ainda me mantenho invisível, não apresento propostas, nem discuto possibilidades, apenas observo e reconheço perfis. Território novo e novas estratégias de atuação.

Adentro em uma atmosfera na qual as pessoas são diferentes, trazem um peso cultural distinto. Contudo, me sinto díspar com relação a minha própria personalidade, consigo permanecer em silêncio por mais tempo do que um dia imaginaria ser possível. 

Não sinto necessidade de compartilhar o que sei, às vezes menciono algo que qualquer um poderia ter dito ou identificado, mas que por algum motivo, não o fez... 

Ainda não sei ao certo o motivo desse comportamento aprendiz, se quero aprender mesmo ou não tenho aquele desespero em ver os resultados como antes. 

Não sei se egoísmo, receio de ferir alguns egos acostumados a aplausos, conheci tantos por aí, gente capaz de tudo, das práticas mais vis por um lugar ao sol, que acredito ter me cansado de tentar mostrar outros possíveis caminhos de acrescentar intelectual, cultural e não menos presunçosa, até humanamente.  

Hoje fui a uma reunião para discutir o roteiro. Quando o li achei interessante, por se tratar de uma estética que nunca fiz. Lógico que identifiquei os erros e porque não dizer, a egocentricidade do autor e o medo gritante de que “alguém” estragasse sua obra. Me vi ali, enfurecida com meu editor... Quem nunca? Ninguém gosta que mexam com seus ”filhos”. 

Mas, cinema é coletividade e apresentar um roteiro é permitir que outras pessoas possam criar baseado nele. Salvo especificidades de execução de algumas etapas onde não há outras formas possíveis, em síntese é isso. 

Até agora o que vi foram fragmentos de mim, engenheiro de obras prontas e isso não é um elogio, muito menos verdade. Blá, blá, blá faço melhor, blá, blá, blá vamos ganhar dinheiro, blá, blá, blá profissionalismo.

Mas, enfim... Vamos mergulhar na produção audiovisual e esperar pelo amadurecimento das ideias.