"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

domingo, abril 7

Novos ensaios

Senti a temperatura do corpo se elevar, enquanto o termômetro marcava 18°C lá fora. Os batimentos cardíacos se aceleraram, eu sabia o motivo. Em circunstâncias semelhantes isso é bem comum. A boca ressecada, pactua com as mãos suadas e trêmulas.
E deixam as perguntas pré-estabelecidas fugiram da mente...

Esperei pelo momento certo em que minhas fraquezas conhecidas fossem evidenciadas até que possível encará-las. Chegada a hora de subir ao palco e encarar a plateia e, minha apresentação foi quase um monólogo.


Depois da primeira aula de teatro "Palco Aberto" com Michel Godinho e uma turma harmoniosa, acredito que encontrei uma maneira de praticar alguns conhecimentos adquiridos ao longo da minha vida, carreira e demais aprendizados, além é claro da assimilar estudos e observações. Esse momento é importante porque achei que não conseguia mais escrever com a alma. 

Outro ponto importante que me motivou a subir ao palco, além da vontade de conhecer outras versões de mim mesma, foi a necessidade de entender o brilho no olhar dos atores com os quais tenho tido o prazer de trabalhar no projeto do documentário que fala sobre o teatro. Eu chamei de "monstro faminto" esse sentimento que nos arrebata a cada entrevista...

Achei que tivesse perdido a vontade de compartilhar minhas observações com o mundo, porém, notei, ao menos até aqui, que apenas mudei a direção. Contudo, continuo amando o que faço.