"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

sábado, outubro 27

No pretérito imperfeito do indicativo


Eu gostava de quando você completava minhas frases, não era adivinhação, era apenas seus pensamentos em sintonia comigo.

Gostava quando chovia e você dizia que era o melhor momento de ficarmos juntos, como as gotas que tocam o solo.

Eu gostava de quando me telefonava minutos depois de nos despedirmos, para dizer que meu gosto ainda estava em teus lábios.

Gostava de quando você cobrava o que eu não havia prometido.
Eu gostava da sua sensibilidade e do jeito como assistia ao mundo.

Gostava de adormecer em teus braços e despertar ao som de "Bandolins".
Eu gostava de te ver trabalhando, da tua entrega e ver o brilho em teus olhos, que um dia desapareceu.

Gostava de te ver no banho e da tua insistência para quase tudo.
Eu gostava do sexo à noite e de fazer amor pela manhã.

Gostava das nossas discussões acaloradas e de como consertávamos as coisas.
Eu gostava do respeito e admiração de antes e não da aversão de agora.

Gostava muito mais de como era.
Eu gostava de amar você.