"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

quarta-feira, fevereiro 3

Penúria minha

  Não lembro bem quando, mas foi recente. Um servidor conversava com sua colega na sala ao lado da Assessoria onde estagio. Não sei do que falavam, estava atenta as fotos que deveria diagramar para o jornalzinho interno. Porém, antes de sair ele disse: “A gente vai ficando mais velho e amolece”. As colegas concordaram e logicamente levaram para o lado mais malicioso que conhecem. No entanto, refleti... Viajei dali, num mergulho vertiginoso no mundinho só meu...

Lembrei que alguém a quem tenho uma apresso enorme, ter reclamado comigo por estar um tanto desligado de algumas notícias e ter lido assuntos relevantes, num jornaleco desses...

Que decadência! – Ele exclamou.

P1070706Então, divaguei nos meus textos que ultimamente não têm profundidade alguma...Mas, foi uma exigência de você leitor. Que também não quis mais que eu falasse de mim.

Tudo bem, não se pode agradar sempre. E me sinto pobre ultimamente, mais que em outras circunstâncias.

Isso tem a ver com “amolecer” que o colega citou. Antes era mais fácil ser ácida, agora penso duas vezes mais antes de apontar meu indicador.

“Será que perdi minha identidade?”

“Envelhecer fez com que eu perdesse minha melhor virtude?”

“Talvez meu empobrecimento intelectual tenha a ver com outras vertentes da minha vida?”

Quando era mais nova, bem mais nova, vivia numa bolha cor de rosa (detesto rosa) mas isso foi o que minha melhor amiga me disse na época, quando brigávamos por uma volta a mais nos meus patins... Muita coisa aconteceu comigo depois daquilo. Contudo nunca esqueci. Porque nunca quis viver numa bolha, quanto mais rosa.

Mas me sinto mais pobre do que nunca, intelectualmente falando. Logo esse ano que isso não poderia acontecer comigo... Lamúrias à parte, por onde quer que eu vá, o que quer que eu leio parece que já vi antes, não tem nada de original, nada autêntico. E os meus textos têm sido muito pior que ruins. “As melhores frases não fui eu quem disse”. Ok, não serei mais patética que isso, me sinto assim desde o quarto semestre, todavia se agravou nas férias. E olha que li mais livros do que costumo ler durante o período letivo.

P1070831 Os autores foram repetitivos, mesmo os mais conceituados.

Me aliei a uma liga de outros autores independentes...e o que eles dizem não é mais que um resumo deles mesmos.

Talvez eu busque respostas prontas que não existem, porque a visão que eu tenho do mundo já está turva demais. Não é que eu esteja descontente. Mas minhas teorias foram desconstruídas, meus pontos fracos expostos e não posso mais apontar para o norte e dizer que tá tudo ali, também não posso fugir para o sul. E meu pólos desorientados ficaram surdos, e hoje também eu escuto o silêncio. E isso tudo teve a ver com amolecer.