"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

terça-feira, junho 19

Antes... o tempo, agora... eu

Hoje planejei dormir cedo, não sei bem o porquê... Talvez saiba.

Mas, já são quase duas da manhã. E, meu dia passou e não senti. Fiz coisas que não percebi, concluí tarefas que não vi começar.

Saboreei comidas sem reconhecer o tempero, meu tempero. Bebi líquidos sem sorver bem. Respirei um ar quente, depois frio, mais tarde mais frio ainda.

Fiz compras. 
Geladeira cheia e meu guarda-roupa... bagunçado, não sei o que vestir amanhã, nem depois.

O barulho ensurdecedor do relógio alerta para a ininterrupta cobrança de aproveitar o tempo. De longe meu ócio é criativo. É apenas desinteressante. 

Antes corria para não ver o tempo de costas, agora quem vira-lhe as costas sou eu. 

Penso em não planejar o dia de amanhã e tenho compromissos. Preciso de coragem. Gostaria de poder ousar e não reconheço os motivos que me impeçam de faze-lo...
Adeus, vou me deitar.