"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

quinta-feira, dezembro 9

Sinta e faça!

VII FIM no MIS
  Primeiro dia da oficina de cinema do VII FIM, ministrada pelo cineasta Camilo Cavalcante.
  Na tarde de ontem, 8, no auditório do MIS localizado no Teatro das Bacabeiras, um público bem eclético composto por profissionais e estudantes de áreas como educação, tecnologia da informação, teatro, artes plásticas e comunicação, que comungam de interesses semelhantes pelo audiovisual para os mais diversos fins, dividiram suas expectativas quanto a iniciativa e os benefícios de oportunidades como esta para o cenário local.
  Camilo se apresentou e fez alusão a suas experiências profissionais, discorreu ainda asserções do que o cinema significa, explícitas em sua forma apaixonada de lidar com a linguagem. Para ele o cinema não se restringe a técnicas,não se pode ensinar ou aprender cinema, é preciso sentir e fazer”, destilou.
CamiloC  Figura inquieta de ritmo acelerado quase impossível de acompanhar, com um sotaque que denuncia suas origens.
Cabelos ondulados “negros-acinzentados e mesclados por filetes de um quase branco” emolduravam um rosto cheio de disposição de dividir e provocar a veia artística que acredita existir em cada figura ali presente...
Disse ainda que o filme nasce antes mesmo de ser filmado ou roteirizado, ele existe na mente de alguém, com cenas, planos, contraplanos, imagem e áudio. Enfatizou a prática da metodologia adotada, bem como o costume de ler o perfil de cineastas consagrados, como estímulo para criar argumentos interessantes a serem filmados.
  A oficina de realização audiovisual continua até dia 12 de dezembro. Mas, para quem não pôde aproveitar… acompanhe a programação do VII FIM.