"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

sexta-feira, maio 7

Origem dos sentimentos

Sinto pelos atrasos nas postagens, sinto mesmo. Apesar da nova rotina, ou talvez por causa dela, não tenho obtido êxito na elaboração de textos interessantes. Minhas tentativas frustradas me levam a posicionar o cursor no início “das reflexões” e utilizar o comando control + t e em seguida, repousar meu dedo indicador na tecla de nome Del. Foi assim durante todos esses dias. Juro que tentei.
Até que percebi que só produzo sob o efeito de alguma emoção. Não que eu não tenha tido muitas, porém, meus sentimentos não têm sido percebidos ordenadamente. Mais um lamento também por não ter sido furacão. Caso contrário eu lembraria.
Hoje pela manhã, entre os colegas de trabalho foi declarada a guerra dos sexos em tom de brincadeira, argumentavam (desnecessariamente) quem seria o mais importante, o homem ou a mulher. Enquanto observava, usufrui do meu direito de permanecer em silêncio (já falei sobre ele aqui…). Porque falar sobre o assunto me remeteria às minhas crenças e admití-las seria me expor de alguma forma e só por hoje não quero.
Tristeza, talvez muita. Daquela que dorme abraçada em você e não te deixa no decorrer do dia, mas ainda é cedo. Não direi que não é sem sentido. Não direi nada.
Sobre a “guerra” acima citada, lembrei de um quadrinho que meu namorado me apresentou, curti muito, que fala bem sobre origem...
Vos apresento Deus, Adão e Lúcifer por www.umsabadoqualquer.com
Como será a cara de quem não sente nada?Sem comentários, tá?
  Depois ninguém sabe porque o amor é complicado!
Ainda nessa linha de raciocínio, após o retorno da energia elétrica, que como diz um jornal local sobre os constantes apagões da CEA, que mais parece estar apaixonada, por ficar piscando todo tempo…blá, blá, blá, um colega se aproximou e citou Gandhi:
Se um único homem atingir a plenitude do amor, neutralizará o ódio de milhões.
Mahatma Gandhi
Se uma só pessoa ama é solidão ou masoquismo, isso sim!