"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

sábado, maio 22

Ví… bora

Tive muitas emoções nessa semana, de todos os tipos… o que na minha avaliação significa que o saldo foi positivo. Contudo… já sei, você deve estar se perguntando:
*Precisa ter um “contudo”, sendo que o saldo foi positivo?
Calma, trocarei em miúdos para você entender, “qual é o papo”. Lembra daquela “liga torta” que normalmente costumo mencionar, sobre minha mania de observar antes de falar qualquer coisa? Pois bem. Observei bastante, assimilei um bocado, me mantive fria, o suficiente para não absorver as doses cavalares de energia negativa, emanadas de pessoas… digamos, extremamente indesejáveis e profundamente “evils”.
Na quarta-feira quando fui para aula, depois de um dia que foi muito bacana. Me deparei com realidades com as quais já estava muito na cara, mas sabe quando falta fé? Então… Tem muita gente de caráter duvidoso por aí.
Sabe qual é a pior constatação sobre pessoas ruins? É que elas não se acham ruins, sempre têm justificativa para tudo e no final das contas deitam a cabeça no travesseiro, dormem o sonos dos anjos e amanhecem com a mesma cara deslavada de sempre.
Afinal, a única coisa que importa para elas é a possibilidade de passar por cima de quem quer que seja, para alcançarem seus objetivos. E garanto a você, essas pessoas não têm medo de descer o nível. Não respeitam o adversário, e jamais jogam limpo.
O “bacana” é que a maioria dessas pessoas evils, não tem talento algum, são mediocres e têm um ego maior do que a pobre carcaça é capaz de suportar. São extremamente mal amadas, irritantes, do tipo de gente que entra em um recinto e traz consigo uma nuvem negra. O que resulta em 100% de rejeição para as demais. 
O que é mais irritante nas minhas concepções de mundo, é que dificilmente me engano quando o assunto são pessoas com as quais não fui com a cara, depois de trocar algumas palavrinhas.
Tá certo, que ultimamente tenho usufruido da educação que meus pais me deram, talvez tenha sido uma forma de gratidão da minha parte, já que tanta coisa boa tem acontecido comigo. Normalmente eu faria questão de ser anti-pática e minha justificativa seria: “Só uso minha educação com quem eu acho que é merecedor”. E daí?
Bom, tô enrolando muito para dizer que essa imagem (aí de baixo) não me saiu da cabeça essa semana. Pensei em deixar uma mensagem subliminar. Mas, acredito que é dispensável, né?
Bona petit!
cobra-comendo-rabo