"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

terça-feira, novembro 17

Sem cravo, sem rosa…

Então, foi uma noite mal dormida cheia de pesadelos.
Dormir do lado esquerdo da cama e poderia ter acordado no chão… Não seria embaixo da escada?
Noite de horror, tudo por culpa…de não pensar quando fala. Aquele lance de novo de pensar, ou não.
Brigas sem graças dos dois que se amavam, que não se amavam.
A rosa com seus espinhos e o cravo tão sensível.
Logo, antônimos gritaram aos ouvidos enquanto o corpo fingia o descanso dos injustos.
Força, sutil.
Raiva, por não saber responder… Por não tentar.
Barulhos, silenciosos.
Provocação, desprezível.
Paixão, desapegada.
Morte sem vida.
Brincadeiras sem graça. Já é tarde.
E amanhecer sem querer, literalmente, para atividades pouco produtivas, e a ambiguidade não se cala.
Ok, torture à vontade.
Sabe quanto custa uma rosa?
Sabe o quanto custa para uma rosa?