"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

quarta-feira, janeiro 5

Saudade também tem dois lados

  No post anterior falei da insônia que tem me acompanhado desde de novembro e não foi diferente nas últimas noites... e do quanto eu me sentia sozinha, sabe aquele sozinha no meio de uma multidão? Aquele monte de perguntas que você formula para si mesma? Então, a insônia continua, quanto a solidão, é impossível ficar tanto tempo triste, quando tanta gente que é capaz de aceitar o seu jeito, faz questão de se fazer presente… 
IMG_75233  Agora vejo melhor o quanto me intrometi na vida das pessoas e, o quanto elas também fizeram o mesmo comigo. Dou muito valor para cada segundo, afinal ele não se repetirá, não será notado da mesma maneira e que bom que não sou a única… ops, do que estávamos falando mesmo?
    Conversei com meu amigo Plácido de Assis, e fiquei toda boba com o que ele me disse.  Não sou a única a perceber as mudanças pela qual passamos depois do tão sonhado, “ufa, enfim tudo acabou bem”.
  “Ficamos juntos quatro anos. Convivi contigo quatro anos, passamos por um monte de coisas, vimos nossas transformações e continuamos nos transformando. Você faz parte da minha vida. Você faz parte da minha história e fico muito feliz por te ter aqui no meu coração. =*” Plácido de Assis
  Achei isso lindo, também sinto essas coisas e não sei porque não digo com tanta frequência o que sinto, já está mais do que na hora disso mudar para melhor também.
  Só é possível ter noção de quantos amigos de verdade você tem quando realmente precisa deles, e quando mais precisei todos estiveram de alguma forma ao meu lado, e isso mexe muito com o emocional, racionalmente falando. Rsrs.
  Então, meu amigo, esse post é para você!
  Espero que você entenda o quanto significa para mim também. Deu… já tá bom… não quero ficar nessas de chorar. As coisas tem que mudar, mas não exige muito, tá? Rsrs