"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

terça-feira, agosto 23

Entre o vulcão e o iceberg


Ele é assim intenso,
Presente, quente, forte, constante, falante, inquieto e envolvente...
Tudo ao mesmo tempo agora e perco o fôlego.
O olhar às vezes fica cinza, não dá vontade de questionar nada.
E quando o silêncio fica mais alto ele pergunta : “Você vai voltar?”
A explosão é no meu peito, falta o ar e há fumaça.

Depois, quando a distância abraça, 
Ele não dá adeus...
Não deixa fitar os olhos vermelhos e finjo não notar.
Tão lacônico, breve, irônico,
Quase não se faz acompanhar.
É distante, ausente, conciso, sucinto, resistente.
E bate a dúvida se foi tudo verdade.
Loucura tem dois significados e desaparecer traz a necessidade de presença.
O gelo também queima e faz arder.

"Dove siete?"