"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

terça-feira, agosto 9

Papo Calcinha

Se você é daquele tipo de mulher desconfiada e tudo que ouve, vê ou sente rende várias teorias da conspiração, a viagem de hoje é totalmente direcionada a você.

Então é melhor se convencer que ouvir mais de seis vezes a mesma opinião de pessoas diferentes, deve ser levado a sério. Se te chamam de gostosa, por exemplo, lamento informa-la que de fato você deve ser. Afinal os homens não mentem assim tão bem, né? É bom se conformar. Tá certo que tem mulher burra que acredita, mas convenhamos...

Ah, por falar em mulher que acredita, é praticamente uma unanimidade (por mais que essa frase não faça sentindo algum, porque se é unanime, não se discute, mas enfim...) que as mulheres trazem consigo algum tipo de botão autodestrutível, nunca estão contentes com absolutamente nada, (e olha quem fala é uma expert), têm uma tendência natural a isso, salvo casos das feias.

Essa afirmativa é verdadeira, porque se não é feia por fora, certamente é por dentro, do tipo que pode até aparentar alguma meiguice, mas abriu a boca: “Fecha a tampa da latrina”, e nas variações mais perversas que se possa ter desse conceito.  

Tá, tudo bem! Mas, agora você se pergunta e de preferência em voz alta: “O que isso tem a ver?”. Eu respondo: “E precisa fazer sentido?”.

Não que eu esteja revoltada com as mulheres e isso inclui a mim mesma já que sou várias em um modelo compacto, tudo depende da situação e da companhia, não é mesmo?!

O lance é que ser quem somos também cansa. Daí a ideia seguinte é parar de confabular consigo mesma, expurgar todo o tipo de viagem sem volta que a criatividade às vezes nos impõe. 

Ligar o botão do “foda-se” é sempre uma boa pedida. E, lógico se deixar deslumbrar, acredito que esta volta toda, foi para finalmente admitir: “Estou totalmente deslumbrada!”. Ufa, consegui assumir. ^^