"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

segunda-feira, dezembro 21

Bem vinda

Corri tanto atrás do tempo,
Reclamei muito por vê-lo de costas,
Ele ouviu.
Irritado correu em minha direção e me abraçou,
Tão apertado, que estalou os ossos do meu corpo, me deixando sem ar.
Depois disso, me abandonou.Que meus olhos sejam capazes de ler além das entrelinhas...
Agora o tempo não passa mais pra mim, nem volta.
Pedi socorro a luz e ela pegou carona nos olhos de um amigo;
E a chuva apenas consolidou…
Também choveu nos meus olhos, então pedi a chuva que parasse:
Pára-raio,
Pára chuva,
Pára a tempestade no meu peito, mas pare.
A chuva silenciou e as reticências se completaram para não haver mais dúvidas.
...mas se não forem, me deixe aqui. E, nessa noite que durmo só, não quero pensar em nada, nem em ninguém, só preciso entender o que as batidas desse coração têm a me dizer, mesmo que seja: “Bem vinda solidão!”