"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

sexta-feira, janeiro 15

Só sem...

Cinza...
Resíduos de um corpo, agora restos mortais;
Memórias dos finados, só que no plural.
Luto, mortificação, sinais.

Mas, pode ser um dia sem cor, sem dor, sem sol.
Só mais uma cor, sem odor...

Cinza...
Que não é preto, nem branco.
Não é limpo, nem sujo, só sem...

Nem fraco, nem forte,
Nem claro, nem escuro.
Só sem.

E, acordar pela manhã e ver um dia cinza é como dizer bom dia, sem dizer, só sem dizer.
Ver, ou esperar para ver...
O dia, e a noite, quando vêem.