"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

domingo, março 21

“...olha como tu és”...

Uma frase legítima de quem ficou magoado com alguma coisa, feita por alguém...  um sonoro: “Olha como tu és”, instiga uma reflexão mais sincera.

Quem sabe você seja honesto o suficiente para reconhecer que deixou de reconhecer algo, alguém, ou pior ainda, algo que alguém fez pra você.

Eu mesma já ouvi muito: “Como tu és injusta”. Uma boa hora para que me cale.

Pirata fica magoado? – Claro que não, ele puxa a espada e depois, só Deus sabe.

O ser humano sempre tem duas opções, chamam isso de livre arbítrio.

Só há duas formas de viver, evoluir ou involuir.

Então, se pensarmos como era um papagaio de pirata antes de evoluir... talvez não sejamos capazes de compreender o processo todo, o histórico mais a fundo. Nesse aspecto, sejamos todos rasos (rsrs).

Melhor não pensar, apenas subir a bordo, e esperar pelas aventuras em alto mar.

E foi assim, uma noite perfeita depois de um dia daqueles em que somos sugados e aparentemente, não nos restam mais forças.

E, na hora do diabo, a pirataria é plena. Isso mesmo, já passava das três da manhã.

As discussões fluem em ondas culturais. Tudo que é produzido de norte a sul, passa pela análise minuciosa de uma mesa posta e cercada por tudo que é importante: Amigos!

Já notou como a noite fica linda iluminada apenas com o céu?

Experimente ascender um incenso.

As ondas batem no casco do barco, suaves e, um vai e vem gostoso nos leva para destinos incertos.

As músicas não se restringem a preencher os poucos espaços de silêncio. Eis, o fomento do conhecimento.

No convés limpo, os pés tocam o chão, para ter a sensação de ter poder nos próprios passos, que deixaram de pertencer a uma única pessoa. Éramos oito até ainda a pouco, agora três já andaram na prancha... restam ainda os três bravos piratas, uma piratinha e um papagaio.

Os copos não esvaziam. A música já não é tocada pelo amigo da capa preta, nem o Mestre das Ilusões. Este último por sua vez, enche o ambiente com respostas de efeito.

Hoje acontece a preguiça do pensar... ser pirata é ter raciocínio”, declarou em alto e bom tom, o Mestre das Ilusões.

A galera arrota projetos... não gosto nem de falar em projetos”, repudia o Capitão Alma Negra.

A terceira geração somos nós... pensamos, mas não fazemos... Pensar globalizado é regionalizar a cultura de forma internacional”, justifica o Cavaleiro da Capadócia, agora com outro posto (rsrsrs).

Fluídos de uma energia positiva pairam no ar nesse momento, predizem o que está por vir.

Como piratinha que sou, me limito a perceber até onde é possível, que o significado de ser pirata, parte do princípio onde me permito ser engolida pelo mar de possibilidades. Apenas isso.

Não há no mundo almas tão livres, que não submerjam aos níveis de loucuras sãs, que conduzem os seres chamados pensantes aos limites inimagináveis do ato de sonhar. Sonhemos juntos, em encontrar em cada porto um perfume de descoberta, um rastro de mistério a ser desvendado e, seguir em frente com a lembrança dos que ficaram para trás. Talvez ainda, permitir-se só sentir, e ainda assim, nunca sentir-se só.

“Querer”, “Saber”, “Ousar” é um convite a montar no “Cavalo do cão” e seguir para onde Deus quiser, mas se ele não quiser, não desistir no meio do trajeto. Há quem abra os caminhos para os desbravadores, porém percorrer é salutar.

Os cinco são capazes de apreciar as três de uma quadrilogia... A última história ainda a ser contada.

“Melhor sentar”... para não começar perdendo, como o papagaio de pirata, que a esta altura repete erroneamente “Gabiru”, ao avistar por sobre o ombro direito do capitão Alma Negra, uma ilha (Gaibu é o nome do lugar) cercada de mistérios, que guarda histórias de Pink Floyd e um saco de dormir.

Isso é ser pirata. Ter privilégios grandiosos de recordar a densidade do ar que foi respirado e, qual o sentido disso tudo. Apague as luzes se for possível, mas senão , deixe acesa, e que a música que fala da mulher que não acredita que o homem amado admire sua beleza, seja injetada hiperbolicamente somente com a força do olhar.

Nesse meio tempo, dance todas as danças que a música se atreva a lhe conduzir, feche os olhos e agradeça internamente por estar vivo e ainda assim sentir saudades.

Declame poemas, versos, escreva sobre tudo que quiser.

Mas, esteja ciente que há em algum lugar, alguém que irá lhe superar. Aproveite seus momentos, eles passam.

Sirva-se de mais alguns goles, até ser capaz de ver nas nuvens macacos fazendo travessuras. Que o tempo passe, mas deixe marcas irremovíveis.

Los piratas de los bares - Nessa foto não faltou ninguém. Estão todos que tinham que estar, até o hino dos piratas. Saudades...

Dê-se por satisfeito em saber que tudo que está escrito por você, pode fazer sentido ou não, contudo, nunca irá expressar verdadeiramente aquilo que és capaz de sentir.

Demorei a registrar porque saudades só tem no nosso idioma. E já sinto a minha parcela.