"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

terça-feira, março 2

Chove informações sem me molhar

Os dias têm sido corridos.

Mal percebo que o dia já se foi, não passo mais as madrugadas acordada, tão pouco tenho escrito meus pensamentos insanos todo o tempo.

Não culpo os dias por passarem e me deixarem para trás, já que não tenho sido muito organizada mesmo.

Esquecer têm sido uma constante. Com uma facilidade enorme, às vezes esqueço que almocei, e isso após duas horas. Talvez seja falta de vitamina, mas no fundo acredito que seja muita energia criativa desperdiçada.

Sabe aquela onda de querer abraçar o mundo, com as pernas? Acho que sou o cúmulo do absurdo nesse quesito, acredito que tenha tentado essa façanha, com os dedos dos pés.

Está tudo muito grande ao meu redor…

Hoje por exemplo, já é madrugada de terça, mas a segunda foi muito grande. Não como “aquelas segundas” em que acordo pela manhã com a filosofia do Garfield (de quem odeia segunda-feira e gostaria de voltar a dormir)… contando os segundas para chegar o fim de semana.

Vale a pena citar os melhores momentos:

Pela manhã, a aula de roteiro estava prazerosa, o ritmo do grupo, apesar das reclamações do meu velho, vai bem. Me lembrarei de não convidar mais meu papito para ser meu coleguinha de curso, ele é muito “Caxias”   não me deixa faltar, rsrsrs, que maldade a minha.

Tô curtindo muito. Contudo, acho que minha criatividade ainda está de férias, aff! nono

________xx_________

À tarde no trabalho, foi conturbado, mas pensei várias vezes em não reclamar, e não é que deu certo!

Me senti mal no caminho pra casa, dores… Mas, madrecita me medicou e fui para aula. Foi legal, apesar do meu atraso, e do trânsito no caminho… Mas, ando preocupada com os trabalhos, com o “Trabalho de Conclusão”, este último já almoça comigo.

_________xx_________

À noite, aula bacana mesmo foi a de Telejornalismo II, eu já nem lembrava mais como usar a câmera…Foi muita prática.

Só lamento não ter registrado para postar aqui, não sei onde ando com a cabeça, que tenho perdido cliques fabulosos.

musica06Ah! Para completar minhas lamúrias, esqueci de imprimir o trabalho de rádio, que saco!

A rádio ainda não tem nome, e nome de rádio é tão fraco. Essa palavra se encaixou bem. Não gosto de rádio, não gosto de como minha voz fica na rádio.

div02

 

Assisti ao stand up que fiz na semana passada, tô gorda. Cadê disposição para cuidar do corpo?

 

Já que eu vou pirar mesmo...que seja com style! Por falar em palavras, a disciplina Laboratório de Jornalismo Impresso, tem rendido boas pérolas, li textos muitos agradáveis, criativos, cheios de delicadeza na hora de transmitir para o papel o que cada um sente sobre a ação de escrever… Alguns renderam um raio X da alma, foi mágico. Porém, por mais que se tente, nem todo mundo tem alma, e na remessa de hoje, li um lixo… Que até mesmo o lixo se ofenderia de receber tal comparação. Então me pergunto:

Por que a surpresa, vindo de onde vem?

Não se pode julgar o livro pela capa, mas quando a capa não lhe diz nada, por que teimar em abrir o livro?

Assisti ao filme Legião, no sábado (não, não é da banda Legião Urbana), fala de quando Deus perdeu a fé no homem, e enviou os anjos para aniquilá-los… Um de seus soldados (anjo Miguel) resolveu desobedecê-lo, a trilha tem muito valor, enriqueceu cenas que poderia ser usadas tranquilamente em outras circunstâncias e não teriam o mesmo charme e/ou efeito. Todavia, o que isso tem a ver com as perguntas que fiz ainda a pouco? Talvez alguns livros, cujas capas nada atraentes sejam abertos, seja por curiosidade… ou esperança.

Mas, no caso acima, não teve jeito, não se aproveitou nada. Vazio, tão vazio que até mesmo o vazio se tiraria proveito, mas do texto em questão? Não! Nada.

Fiquei triste quando li.

Tive vergonha de ter alguém assim na mesma turma que eu.

Deixa para lá, entretanto, não seria eu mesma se não observasse de outro ângulo…o da língua afiada, por exemplo. Rsrsrs.

A internet não ajudou nada hoje…

Tenho exercitado minha paciência, não tem sido fácil, em especial hoje, apesar de meus esquecimentos imperdoáveis, foi um dia bom.