"O texto simplifica meu eu complexo, ora é aliado, ora me faz refém".- Hellen Cortezolli

sábado, outubro 17

Quando falta atração

Nas últimas horas tanta coisa passou pela minha cabeça, que até senti dores…

Pensei em falar sobre as convenções de se criar perfis aprováveis no universo das mídias sociais, camuflagens como aquelas que se usa diante de uma entrevista de emprego, depois sobre a poluição, sua responsabilidade e consequencias…  E também da crise de risos de uma aula diferente. Ou talvez um apanhando sobre a semana. Quem sabe até, da pauta que furou, das aventuras do meu amigo “Plástico” e eu, na zona norte da cidade, minha volta para casa bem mocinha, sem fazer barbeiragem.

Mais tarde imaginei que deveria fazer uma crítica ácida (como sempre) ao convívio no local de trabalho…

Depois de tudo isso, imaginei que nada faria sentido, porque a emoção que permiti que se manifestasse diante de todos esses momentos, não estava mais aqui, comigo.

Me sinto fazia…

De que adiantaria então?

Como os segundos são cruéis, já era passado. Não foram registrados a tempo. Devo sempre me conter, agora.

Numa avaliação firme, acho que digo tudo que sinto, penso… quando me dou conta, já disse.

Minha sorte, talvez seja a de não me preocupar com rótulos. Geralmente não ganho nada com isso. Fico ainda mais transparente. Concluo que por hoje a fonte secou.

 agua24